Ambiente Virtual de Aprendizagem Gamificado Aplicado ao Empreendedorismo

Um ambiente virtual de aprendizagem pode ser entendido como uma plataforma que disponibiliza ferramentas de comunicação, colaboração, administração e relatórios para auxiliar o ensino a distância [1]. O uso de elementos de jogos em ambientes de aprendizagem tem crescido junto com pesquisas sobre a aplicabilidade do mesmo. Exitem algumas plataformas de ensino a distância que trabalham de forma diferenciada entre elas o Duolingo. O Ambiente Virtual de Aprendizagem Gamificado Duolingo consiste em uma plataforma que ensina línguas estrangeiras. O Duolingo é a plataforma de ensino mais utilizada no mundo e recentemente recebeu uma rodada de investimentos liderado pelo Google Capital. Um estudo [2] afirma que 34 (trinta e quatro) horas de uso do Duolingo corresponde a um semestre letivo de um curso de línguas em uma boa instituição de ensino.

Os estudos sobre gamificação/ludificação aplicado a educação vem crescendo desde 2010. A gamificação pode ser entendida como o uso de elementos de jogos em contextos de não entretenimento, ou seja, o uso de elementos de jogos em contexto não jogo. Aplicada a educação, a gamificação se apresenta de duas formas [3]:

  1. Gamificação Estrutural – Abordagem onde é adicionado elementos de jogos dentro do ambiente de aprendizagem sem mudar o conteúdo;
  2. Gamificação de Conteúdo – O conteúdo é adaptado para que a inserção dos elementos de jogos dentro do ambiente de aprendizagem seja o mais próximo possível de uma experiência de jogo.

arcade-games-154575_640

Um Ambiente Virtual de Aprendizagem GAMIFICADO é uma plataforma que disponibiliza as ferramentas de comunicação, colaboração, administração, relatórios e técnicas para uso de dinâmicas e mecânicas de jogos com o objetivo de engajar e auxiliar a aprendizagem.

O ensino de empreendedorismo surge no Brasil na década de 80 e passa a ser mais amplamente difundido nos anos 90 [4]. Em 2015, o Brasil se tornou o país mais empreendedor do mundo [5], embora nossos empreendimentos não sejam inovadores. Dentro das instituições de ensino os jovens tem cada vez mais o desejo de empreender, mas as experiências de aprendizagem principalmente ligadas ao empreendedorismo tem sido muito limitadas.

Uma das abordagens para auxiliar o processo de aprendizagem é o uso de simulação lúdica de situações. Através de mecanismos e técnicas específicas são propostos problemas dentro de um contexto, ou seja, é criada situação onde o aluno/jogador tem que tomar decisões para solucionar os desafios. Ao solucionar desafios é necessário fazer uso do conhecimento preexistente ou a ser adquirido dentro do próprio ambiente de aprendizagem pelo aluno/jogador. O ambiente de aprendizagem pode ser uma plataforma online, a sala de aula e/ou qualquer lugar que permeie a busca do conhecimento.

ecac2-gestorbox

Em uma iniciativa realizada no Brasil pesquisadores do semiárido piauiense desenvolveram um ambiente virtual de aprendizagem gamificado aplicado ao empreendedorismo chamado GestorBOX. É uma plataforma que trabalha com o aprendizado de empreendedorismo utilizando a abordagem de gamificação de conteúdo. Segundo estudo realizado [6] foi possível demonstrar através de experimentos que o uso da plataforma alterou variáveis do perfil empreendedor dos participantes. Os resultados encontrados através desse estudo contribuíram, junto a outros estudos, na validação do uso de gamificação como instrumento de aprendizagem.

Referências

[1] ROMERO, C.; VENTURA, S. Educational Data Mining: A Review of the State of the Art. IEEE Transactions on Systems, Man, and Cybernetics, Part C (Applications and Reviews), v. 40, n. 6, p. 601–618, 2010.

[2] VESSELINOV, R.; GREGO, J. Duolingo Effectiveness Study. City University of New York, USA, n. December 2012, 2012.

[3] KAPP, K. M. The gamification of learning and instruction fieldbook: Ideas into practice. 1. ed. [s.l.] Pfeiffer, 2013

[4] RIBEIRO, R. D. L. A contribuição das instituições de ensino superior para a educação empreendedora. Revista Brasileira de Gestão e Desenvolvimento Regional, v. 10, p. 295–313, 2014.

[5] DORNELAS, J. Brasil é o país mais empreendedor do mundo, mas falta inovação. Disponível em: <http://economia.uol.com.br/ultimas-noticias/colunistas/jose-dornelas/2015/04/06/brasil-e-o-pais-mais-empreendedor-do-mundo-mas-falta-inovacao.htm>. Acesso em: 5 maio. 2015.

[6] SOUSA, A. R. R. DE. GestorBOX: Ambiente Virtual de Aprendizagem Gamificado Aplicado ao Ensino de Empreendedorismo. Recife: CESAR EDU, 2015.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *